Siga-nos nas redes sociais

  • Black Facebook Icon

Limpeza de caixas d'água e cisternas

Lavagem e Higienização dos reservatórios d’água com análise bacteriológica:
A falta de higienização das caixas d’água pode ocasionar desde entupimentos decorrentes de sujeira acumulada no fundo da caixa até o surgimento de algas que podem liberar toxinas, ou mais frequentemente bactérias e protozoários que provocam sérios problemas de saúde para quem consumir essa água. Caso a caixa d'água fique destampada, pode servir de criadouro para o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue e febre amarela. No Brasil, 70% das internações hospitalares são causadas por doenças relacionadas à contaminação da água. Tal problema é agravado quando se trata de lugares públicos, tais como: hotéis, restaurantes, hospitais, casas de saúde, lojas e supermercados, clubes esportivos e recreativos, edifícios de apartamentos, conjuntos comerciais, repartições públicas, etc. Não há no País, legislação sobre o assunto, ficando a cargo do bom senso dos estabelecimentos a limpeza, que nem sempre ocorre a contento. Muitas vezes, um profissional não qualificado ao exercer a limpeza da caixa d’água pode acabar a contaminando mais ainda. Neste sentido, percebe-se que regulamentar a obrigação e a forma de higienização das caixas d’água é uma medida de saúde pública, que exercida de forma correta poderá significar enormes ganhos futuros em saúde e diminuição de atendimentos hospitalares.

Procedimento:

01 – Esgotamento total dos reservatórios por processo de sucção ou moto bomba, sendo um reservatório por vez, a fim de não faltar e economizar água na edificação. *Ação preliminar

02 – Lavagem e retirada do lodo e detritos que se acumulam no fundo da(s) caixa(s) d’água e cisterna(s).

03 – Escovagem interna da(s) caixa(s) e cisterna(s) com escovas de fios de nylon para não afetar a impermeabilização das mesmas.

04 – Higienização das partes internas com Hipoclorito de sódio NaClo ou cal clorada CAO C12.

05 – Através de Departamento Técnico, faremos a coleta d’água para análise bacteriológica após 08 (oito) dias da lavagem.

*Observação: Caso haja necessidade de impermeabilização, será efetuado um orçamento à parte.

Praticidade
Garantia

Faça um orçamento conosco informando o endereço e os detalhes como a quantidade e a medida de cada reservatório.
Exemplo:
"rua das couves n100, com 2 cisternas de 1.000 litros cada e uma caixa d'água de 2.000 litros."

Lavagem e higienização dos reservatórios d’água com análise bacteriológica: de acordo com o decreto nº: 20.356 de 17/03/94 art. 2º da lei nº: 1.893 de 20/11/91 se faz necessário à lavagem dos reservatórios d’água a cada 06 (seis) meses.

Segurança

Credenciados pelo INEA sob o nº: 10000823/5566199 para lavagem e higienização dos reservatórios d’água, empregando sempre mão-de-obra qualificada, produtos de primeira qualidade, manipulados em nosso laboratório, atendendo sempre as normas e recomendações técnicas elaboradas pelo INEA, com orientações de nosso Departamento Técnico.

Serviços